Fonte: SBU

A SBU realizou uma pesquisa inédita para entender como o adolescente entre 12 a 18 anos vê a sua saúde e como a pandemia da Covid-19 impactou sua vida. O estudo faz parte da terceira edição da campanha #vemprouro, que tem como objetivo incentivar a ida dos meninos ao médico para avaliação, orientação e esclarecimento de medidas preventivas de saúde.

Dados preliminares da pesquisa mostram que a pandemia impactou sobremaneira a saúde mental, sexual e física dos adolescentes: 76% dos entrevistados apontam o afastamento do convívio com os amigos como uma consequência ruim; 67,65% relataram aumento de ansiedade, mudanças de humor e irritabilidade; 60,29% afirmaram que reduziram suas atividades físicas e somente 5% afirmaram que não houve alteração que tenha prejudicado de alguma forma a própria vida.

O uso de tecnologias digitais (TV, computador, tablet, smartphone e jogos) por mais de seis horas diárias passou de 17,39% antes da pandemia para 59,4%. E nesse contexto, 16% dos adolescentes afirmaram ter aumentado a frequência de sexo virtual e/ou masturbação via conteúdo erótico on-line.

O sedentarismo e a ingestão de alimentos ultraprocessados também aumentaram. Antes da pandemia, 82,3% dos adolescentes declararam fazer algum tipo de atividade física ao menos duas vezes por semana. Mas com o isolamento, 53,6% declararam não praticar nenhuma atividade física ou se exercitar apenas uma vez por semana. Cerca de 67% dos adolescentes bebem refrigerantes de uma a duas vezes por semana e 54,2% aumentaram a ingestão de junk foods.

De acordo com o coordenador da campanha #VemProUro e responsável pela pesquisa, Dr. Daniel Suslik Zylbersztejn, esses dados são importantes para a compreensão de como a pandemia impactou a saúde dos adolescentes. “Muitas vezes a sociedade deixa de olhar para o adolescente, mas é importante observarmos que a qualidade de vida piorou e refletirmos sobre como isso pode levar a questões mais graves, como a incidência de suicídios nessa faixa etária que se encontra em ascensão”, avalia.

De acordo com dados, 52,9% dos adolescentes seguem a quarentena em isolamento social, 42,6% só saem de casa para atividades básicas como supermercado, médico e farmácia e apenas 4,4% não estão seguindo as normas de segurança.

Sexualidade

Somente 30% disseram que falam com frequência com familiares sobre sexo e 35,7% falam eventualmente. Segundo 50% deles, a escola também é um ambiente desconfortável para essa conversa; 33% preferem falar sobre sexo com o amigo e 41,67% preferem não falar com ninguém.

Com relação à iniciação sexual, 15% afirmaram já terem tido relação sexual, sendo que 44% não usaram preservativo na primeira experiência e 35% não usam ou usam raramente o preservativo. E 38,57% dos meninos confessaram não saber sequer colocar o preservativo.

Ida ao especialista

A pesquisa também revelou que o profissional de saúde nessa faixa etária é buscado especialmente em casos de urgência e emergência. Cerca de 30% dos adolescentes não vão ao médico regularmente, sendo clínico geral e pediatra as especialidades mais procuradas. Apenas 1% dos adolescentes do sexo masculino já foi ao urologista e 34% das meninas fazem consultas anuais ao ginecologista.

Metodologia

Os dados preliminares se referem a 267 participantes, sendo 170 meninos e 87 meninas de 12 estados brasileiros, estudantes de escolas públicas e privadas. De acordo com as normas éticas de pesquisa, por se tratar de menores de idade, os pais assinaram um termo de consentimento com a autorização para as respostas, e os adolescentes também assinaram um termo de assentimento para acessar os questionários, que foram distribuídos virtualmente.

Repercussão na imprensa

O estudo inédito conduzido pela SBU foi assunto em cerca de 90 matérias em veículos de comunicação. Confira algumas:

Agência Brasil

IstoÉ

IstoÉ Dinheiro

BOL

Jornal O Dia

O presidente da SBU-MT, Dr. Newton Tafuri, concedeu entrevista ao MT Mais Notícias sobre a campanha e a pesquisa.

Evento on-line

No dia 21 de setembro, Dia do Adolescente, foi realizado o Grenal da Saúde do Homem, evento on-line transmitido via YouTube que contou com a participação de urologistas, entre eles Dr. Daniel Zylbersztejn, e da SBU-RS, reforçando a importância dos cuidados com a saúde masculina em todas as suas fases. O evento foi realizado antes da partida Grêmio e Internacional. Durante a transmissão o público pôde fazer doações, que serão destinadas ao Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre. Foram mais de 700 participantes. O vídeo está disponível aqui: https://www.youtube.com/watch?v=5Ay3lpOB7PA

Write a comment:

You must be logged in to post a comment.

© 2019 - Alacer Biomédica - Todos os direitos reservados. - Cloud por C4W Labz